Pesquisar
Close this search box.

Reposição de estoque: qual a frequência ideal nos supermercados?

A reposição de estoque é um elemento crucial no setor varejista. Ela é responsável pela diminuição das rupturas, oportunidade de vendas, aproveitamento dos recursos, otimização de alguns processos e melhoria do desempenho global da empresa. Entretanto, para garantir essas vantagens é necessário encontrar a periodicidade adequada e considerar diversos fatores.

Neste artigo você descobrirá como repor as mercadorias de forma adequada. Confira nossas dicas e garanta o sucesso do seu supermercado. Boa leitura!

Faça a previsão da demanda

Decisões corretas geralmente são frutos de análises detalhadas. Portanto, a melhor maneira de prever a rotatividade das mercadorias é analisar cautelosamente os históricos de vendas dos meses anteriores. Dessa maneira, você conseguirá identificar quais produtos demandam maior investimento e apresentam índice de vendas elevado.

Com esse mesmo critério, será possível eliminar gastos desnecessários com itens que tendem a ficar parados nas prateleiras. Lembre-se também de ficar de olho no calendário. A sazonalidade do mercado requer atenção, já que em alguns períodos do ano as vendas de um determinado produto sobem consideravelmente. Esse é o caso, por exemplo, do carnaval e réveillon. Nessas datas, a saída de bebidas alcoólicas batem recordes.

Considere o seu público-alvo

Para fazer a reposição de estoque de forma acertada e converter as oportunidades em vendas é essencial conhecer o perfil do público alvo. Estratégias pautadas nos clientes apresentam melhor desempenho, já que possibilitam o atendimento qualificado da demanda.

Para tanto, verifique quais são os produtos mais consumidos, considere o perfil dos clientes (idade, sexo, situação socioeconômica etc) e as particularidades do território onde a empresa está instalada. A partir disso elabore um plano de vendas e reposição, mas não deixe de lado as mercadorias que atendem os demais perfis.

Um supermercado próximo a uma academia pode, por exemplo, investir em produtos saudáveis e realizar promoções nesse sentido para aumentar a rotatividade de algumas mercadorias. O mesmo vale para um público majoritariamente feminino. Nesta hipótese os itens de maior saída se destacam no ponto de vendas, mas os masculinos não serão descartados.

Adote um sistema especializado

Automatizar a reposição de estoque e aprimorar o controle dos processos significa realizar um investimento capaz de reduzir as falhas humanas, otimizar o tempo, melhorar o aproveitamento do capital humano e obter dados confiáveis acerca dos produtos. Um software de gestão especializado centraliza as informações dos mais diversos setores da empresa, integra os processos de recebimento e baixa de mercadorias e agiliza a execução de grande parte das tarefas.

Além disso, usar um ERP pode reduzir consideravelmente os retrabalhos, as rupturas e até os deslocamentos inadequados de produtos. Os relatórios detalhados são ótimas fontes de acompanhamento. Eles servem também para simplificar atividades como inventário, balanço, controle de extravios e periodicidade de reposição de determinados produtos.

Utilize a curva ABC

A curva ABC (análise de Pareto) para gerenciamento de estoque é um método de classificação de dados utilizados para avaliar quais são as mercadorias de maior impacto ou relevância. Nesta ferramenta os itens podem ser categorizados em pelo menos 3 classes agrupadas respectivamente segundo o grau de importância. São elas:

  • classe A: grande importância, com quantidade ou valor de 20% do total. A demanda destes produtos pode corresponder à 65% em determinadas ocasiões;
  • classe B: mercadorias de valor ou quantidade de aproximadamente 30%. Geralmente, itens com demanda estimada em 30% do total;
  • classe C: quantidade aproximada de 50% do total e demanda na casa dos 10% em alguns períodos.

Como você observou, a curva ABC diz respeito às combinações matemáticas entre a quantidade de produtos, valores e o impacto que eles provocam na empresa. Adotar tal estratégia é interessante para estabelecer quais mercadorias precisam de mais atenção e agilidade na reposição.

Analise a rotatividade

A rotatividade das mercadorias deve ser avaliada segundo o tipo de produto e marca do fornecedor. Isso porque um mesmo item de marcas distintas podem apresentar saídas diferentes. Dito isso, para fazer uma reposição de estoque inteligente é interessante calcular o giro.

A conta pode ser feita da seguinte forma:

giro de estoque = total de vendas/volume médio de estoque

ou

giro de estoque = R$ do volume de vendas anual/R$estoque médio

Vejamos um exemplo prático de cálculo em um determinado período. Hipoteticamente você quer saber qual o giro do pacote de açúcar. Ao conferir suas anotações percebe que são vendidos 40.000 pacotes por ano e que o estoque médio é de 8.000 sacos. Aplicando a fórmula você encontrará o seguinte:

giro de estoque = 40.000/8.000 = 5 giros. 

Avalie os fornecedores

Construir parcerias com fornecedores é indispensável à reposição de estoque acertada. Para que tudo saia como o planejado é necessário que a empresa colaboradora garanta a agilidade da entrega, atue em conformidade com a legislação vigente e assegure a qualidade dos produtos adquiridos.

Para evitar embaraços é preciso escolher criteriosamente os fornecedores. Considere os seguintes pontos:

  • tempo de mercado;
  • confiabilidade da marca;
  • qualidade do transporte das mercadorias;
  • avaliação de outros clientes;
  • responsabilidade e comprometimento com as entregas;
  • valores éticos adotados pelo fornecedor.

Conheça o estoque máximo

O estoque máximo determina a quantidade limite de um determinado produto. Ele é projetado com base na demanda e na capacidade de armazenagem e ignorá-lo pode significar prejuízo principalmente, no caso das mercadorias perecíveis e daquelas que apresentam baixa saída.

Portanto, se a armazenagem máxima de um item corresponde às 150 unidades e no momento da análise o estoque contava com 98, apenas 52 novos produtos devem compor o estoque. Além disso, é importante atentar-se às datas de validade para que as mercadorias adquiridas há mais tempo sejam priorizadas na hora de repor as gôndolas e prateleiras.

As medidas que você acabou de conhecer são as principais formas de evitar prejuízos (com vencimentos e extravios, por exemplo) e de assegurar que o cliente conseguirá ter suas expectativas atendidas no seu estabelecimento. Ou seja, de reduzir consideravelmente as taxas de rupturas.

Cabe destacar ainda que a maneira mais interessante de realizar a reposição de estoque, acompanhar e centralizar as demais operações da empresa é utilizar um software projetado para o segmento da sua empresa e personalizado de acordo com as particularidades do empreendimento, como aqueles desenvolvidos pela CISS S. A.

Não perca tempo! Entre em contato conosco e descubra as melhores soluções para a sua empresa!

Pesquise no blog da CISS
Pesquisar
Artigos recentes​
Inscreva-se

Quer receber dicas de gestão exclusivas gratuitamente?

Para saber mais sobre como a CISS coleta, utiliza, compartilha e protege seus dados pessoais, leia a Política de Privacidade da CISS.

Compartilhe:
Você poderá gostar também: