A reposição de produtos em um supermercado envolve uma série de processos que precisam estar bem estruturados para que as falhas sejam evitadas. Por isso, contar com um bom planejamento para a entrega de produtos nas prateleiras é o primeiro passo para evitar erros que podem custar a satisfação dos clientes e a imagem do seu negócio.

Mas como isso pode ser melhorado? É essa pergunta que respondemos neste artigo, listando 7 dicas valiosas para ajudar você nessa missão. Vamos a elas?

1. Faça um bom controle de estoque

Sem um bom controle de estoque, fica praticamente impossível fazer uma entrega de produtos eficiente e evitar as faltas nas prateleiras. Portanto, invista em melhorar o seu controle de estoque, organizando os produtos de acordo com suas categorias e aprimorando o processo de separação (também chamado de picking).

Entre as melhorias que você pode adotar, estão:

  • organize os produtos com base no giro. Os de maior saída devem estar em alturas mais baixas e médias, enquanto os que menos saem podem ficar nas posições superiores;
  • faça inventários cíclicos, de acordo com as categorias dos itens ou com as localizações dentro do armazém. Isso ajuda a diminuir inconsistências e rupturas;
  • crie um fluxo de trabalho que facilite a coleta dos itens e seu envio para a área de expedição;
  • não deixe de elaborar e acompanhar a Curva ABC.

2. Alinhe os processos de entrega com os fornecedores

Comprar por volume para obter descontos é uma prática muito adotada no varejo e excelente para melhorar a estratégia de precificação — seja para obter lucros maiores, seja para oferecer descontos e atrair mais clientes.

Entretanto, será que sua operação suporta um aumento repentino nesse fluxo de mercadorias, ou é preciso encontrar meios de estocar esses itens no armazém? Nesses casos, para contornar um possível problema de excesso (que pode acarretar avarias e elevação dos custos operacionais), a saída é negociar prazos de entrega com os fornecedores.

Isso também é importante para alcançar sinergia entre os processos e evitar atrasos que possam levar a faltas no estoque — e também nas prateleiras. Também vale citar que é por isso que a escolha dos fornecedores é um processo tão importante e vai muito além da política de preços e condições de pagamentos oferecida na hora da negociação.

3. Faça um registro rigoroso de entradas e saídas de produtos

Outra ação importante para aprimorar a entrega de produtos nas prateleiras é fazer um registro rigoroso de todas as entradas e saídas dentro do armazém. Dessa forma, você consegue acompanhar melhor quais mercadorias têm mais saída e quais são compradas com uma frequência baixa.

Isso permite criar estimativas a respeito de como funciona a rotatividade do seu estoque e alinhar essas informações com o setor de compras. A partir daí, as aquisições são feitas com base na realidade do seu negócio, otimizando os custos e a utilização do capital de giro.

Esse aspecto também é relevante para minimizar extravios que podem ocorrer no estoque e, consequentemente, as rupturas e a perda da venda por falta do produto nas prateleiras — levando os seus clientes em potencial para os concorrentes.

4. Otimize o layout do seu armazém

Planejar o layout do armazém é algo que pode facilitar e agilizar a sua operação. O ideal é que os itens que têm mais saída sejam armazenados em alturas mais fáceis de serem alcançadas pelos operadores e mais perto da área de exposição.

Por outro lado, os produtos de baixa saída podem ser alocados em alturas superiores e em pontos mais afastados, à medida que o giro dessas mercadorias diminui. É dessa forma que se consegue otimizar o processo de picking (separação) e agilizar o envio dos itens para o mercado.

5. Crie métodos para a organização das prateleiras

Você também precisa criar métodos de organização das prateleiras e monitorar a saída dos itens. Isso é feito com o intuito de garantir uma reposição eficiente, respeitando a data de validade dos produtos, e evitar faltas ou espaços vazios (que podem causar uma má impressão no público).

Assim como no controle de estoque, você pode adotar o método First in, First out (FIFO) — ou Primeiro que Entra é o Primeiro que Sai (PEPS), em português. Com ele, toda vez que uma nova reposição for feita, os itens mais novos ou com um prazo de validade maior são colocados no fundo, enquanto os mais velhos ou com a validade mais próxima são colocados na frente.

6.Treine a equipe de colaboradores

Mesmo com a definição de fluxos de trabalho claros e bem estruturados, você ainda precisa investir no treinamento dos colaboradores. Ele é de suma importância para garantir que os processos sejam executados conforme o planejamento e que os resultados alcançados estejam dentro do esperado — principalmente no que diz respeito à organização do estoque, separação dos itens e cuidado com as prateleiras.

7. Conte com o apoio da tecnologia

Atualmente, existem diversas soluções disponíveis no mercado para dar suporte e otimizar a execução das tarefas. Por meio delas, você consegue automatizar diversas rotinas, torná-las mais ágeis, diminuir o risco de erros (e retrabalhos) e aumentar a confiabilidade dos processos.

Além do mais, também é possível encontrar tecnologias que permitem gerar relatórios, que possibilitam insights importantes para o gestor tomar decisões e elaborar estratégias cada vez mais precisas e acertadas. Entre as opções nas quais você pode investir, estão:

Garantir a entrega de produtos nas prateleiras em tempo hábil e de forma eficiente é uma atividade que tem relação direta com o atendimento aos clientes e a satisfação que esse público pode obter no relacionamento com a sua empresa. Devido a isso, é crucial que se estabeleçam processos eficazes e claros para os colaboradores, visando otimizar e tornar essa rotina mais acertada.

O que achou deste artigo? Quer continuar acompanhando outros conteúdos ligados à logística e à gestão de supermercado? Então, aproveite para assinar a nossa newsletter e ficar por dentro de outras publicações aqui no blog