Oferecer vantagens nos preços para o cliente e ter uma boa variedade de produtos são alguns dos fatores que ajudam as empresas do varejo, como os supermercados, a terem mais competitividade no mercado. Para conseguir oferecer essas condições, diversas empresas utilizam a central de compras e, assim, conseguem melhores oportunidades de negócios.

Essa modalidade proporciona uma série de benefícios às empresas, como preços mais vantajosos na hora da compra e maior oportunidade de crescimento. Entretanto, ainda existem algumas dúvidas sobre como funciona essa negociação.

A seguir, mostramos como e por que considerar a utilização da central de compras, além dos benefícios para os estabelecimentos do varejo que adotam essa estratégia. Quer saber mais? Continue a leitura!

O que é uma central de compras?

Basicamente, a central pode ser definida como uma associação entre diversos empresários, que tem o objetivo de comprar mercadorias em maior volume de um fornecedor e distribuí-las entre as suas lojas. Ou seja, é feita uma união entre empresas do mesmo setor para adquirir produtos com mais vantagens.

Em um supermercado, por exemplo, diversas lojas se unem para comprar mercadorias. Dessa forma, é possível obter preços melhores, além de mais facilidades para a entrega de produtos. Esse modelo de negócio permite que pequenos e médios varejos possam oferecer preços competitivos.

Vale ressaltar que o fato de as empresas utilizarem uma central para fazerem suas compras não as transformam em uma única grande rede. Na realidade, cada empresa mantém suas próprias características. A diferença é que o processo de compras é feito de forma coletiva.

Na prática, como funciona uma central de compras?

O modelo funciona por meio da união de empresários com a finalidade de comprar de fornecedores com melhores condições de negociação. Isso é possível porque ao adquirir grandes quantidades de produtos, as centrais conseguem preços mais baixos.

Além disso, muitas vezes há a possibilidade de eliminar a passagem pela distribuidora, que representa um intermediário a mais entre a indústria e o comércio. Com isso, há ainda mais economia, pois é eliminada uma etapa na cadeia de distribuição até que o produto chegue ao consumidor final.

As atividades de uma central não são somente para a compra de produtos. Existem centrais que fazem outros tipos de negociações, como a contratação de cursos e treinamentos com maiores vantagens, permitem a obtenção de linhas de crédito com melhores condições e muito mais.

A central funciona como uma empresa, por isso, conta com uma gestão integrada. Ou seja, há organização e controle para administrar as solicitações de todos os associados. Além disso, existe uma comunicação eficiente entre a central e as lojas participantes para que haja o gerenciamento do estoque e das solicitações de compras.

Quando trabalhar com uma central de compras?

A opção de participar de uma central deve ser considerada em função das melhores possibilidades de negócio que esse modelo oferece. É preciso que o varejista perceba que a união contribui para que os varejos menores tenham um maior poder de compra e negociação.

Imagine as vantagens de negociação que uma pequena rede de supermercados poderá obter se fizer suas compras em conjunto com outras redes de tamanho maior. Com certeza haverá melhores condições, tanto em relação às formas de pagamento quanto à variedade de itens comprados. Portanto, trará benefícios para todos os integrantes.

Isso significa ter maior competitividade no mercado. Dessa forma, será possível oferecer produtos com mais vantagens para os clientes, o que contribui para o crescimento e aumento da lucratividade.

Como uma central de compras é estruturada?

A estruturação de uma central de compras é a mesma que a de uma empresa. Por isso, tem líderes, setores financeiros, agentes de comunicação e todas as outras divisões que normalmente vemos em qualquer negócio.

Quais são os desafios envolvidos nesse processo?

Agora, veja alguns dos desafios envolvidos no processo de estruturação das centrais de compra!

Encontrar bons parceiros

O primeiro desafio para elaborar uma central de compras é, claro, encontrar os parceiros ideais para integrar a lista de participantes. É interessante trazer não só outros mercados menores, mas também incluir lojas maiores nesse processo.

Selecionar os melhores fornecedores

A seleção dos fornecedores também é um desafio, especialmente quando há muitas partes envolvidas nesse processo de escolha. É preciso conversar bastante para alcançar um resultado que favoreça a todos.

Fazer uma gestão eficiente

Fazer a gestão de um negócio não é nada fácil, como bem sabemos. Ao ingressar em uma central de compras, você precisará fazer parte de outro tipo de gestão, seja como líder ou membro participante. No entanto, vale muito a pena!

Quais são os fatores de sucesso dessa estratégia?

Como já conhecemos os desafios envolvidos nesse processo, agora é hora de focarmos nos pontos que definirão o sucesso desse empreendimento. Vamos lá?

Organização

Como em qualquer empresa, a central de compras depende da organização para funcionar.

Confiança

É preciso que haja confiança entre todas as partes envolvidas. Assim, o diálogo fluirá de forma muito mais tranquila e eficiente.

Pesquisa

A pesquisa dos melhores preços, fornecedores e produtos deve ser parte do dia a dia na central de compras.

Comprometimento

Todas as partes envolvidas devem se comprometer a trabalhar em conjunto, estando em dia com os prazos e com as atribuições delegadas a cada uma delas.

Quais são os benefícios da central de compras?

As compras são atividades extremamente importantes no varejo. Por isso, participar de uma central proporciona uma série de benefícios ao setor. Confira os principais a seguir.

Economia

Uma das maiores vantagens de utilizar esse modelo de negócio no varejo é a economia gerada. Isso porque, quando a compra é feita em menores quantidades, não é possível obter preços reduzidos nem prazos de pagamentos satisfatórios. Dessa forma, há um impacto negativo nos preços das mercadorias para o cliente e, como consequência, na lucratividade da empresa.

Portanto, quando a empresa participa de uma central, passa a ter uma maior capacidade de negociar preços com os fornecedores. Em função disso, consegue descontos, melhores prazos para o pagamento, entre outras vantagens. Outro benefício que já foi mencionado é a compra direta junto ao fabricante, o que possibilita ainda mais economia.

O setor operacional do varejo também pode ganhar com a economia. Por exemplo, ao contratar serviços como cursos e treinamentos em maiores escalas, haverá uma redução no custo. Isso abre a possibilidade para que pequenos e médios varejos possam oferecer melhores qualificações a seus funcionários a preços mais competitivos.

Crescimento

Ao ter condições de oferecer preços mais competitivos aos seus clientes, as lojas podem aumentar a margem de lucro e obter melhores resultados. Especialmente os pequenos e médios varejos, ao atuarem sozinhos, podem não ter grande competitividade em comparação com grandes redes.

Outro fator importante que contribui para o crescimento dos associados é o compartilhamento de informações entre eles. Isso significa que há uma relação de parceria entre os participantes, como a troca de experiências, por exemplo, sobre problemas e soluções comuns referentes ao setor, entre outras informações.

Essa troca é importante porque os participantes podem aprender uns com os outros e evitar situações que possam ser prejudiciais ao negócio, como a compra de produtos que não têm mercado em determinada região.

Qualidade nas entregas

Ao participarem de uma central, os varejistas conseguem diversos benefícios com as negociações efetuadas, como melhores condições de entregas. Isso é possível por conta do grande volume de compras, bem como uma logística bem estruturada para atender as necessidades do negócio.

Dessa forma, todos saem ganhando e conseguem, assim, ter uma organização interna otimizada, cuidando melhor da gestão de estoque e trazendo serviços mais confiáveis para a clientela.

Dessa forma, podemos dizer que uma central de compras ajuda também na fidelização e captação de clientes, já que o estoque será atualizado com maior frequência e a variedade de produtos se tornará não só constante, mas também mais atraente para o mercado local.

Como cuidar bem da sua central de compras?

Para finalizar, que tal vermos alguns pontos que não podem ser deixados de lado quando o assunto é cuidar bem da central da qual você vai participar? Vamos lá!

Tenha atenção aos prazos

Comprometimento é uma das palavras-chave no sucesso de uma central de compras e, por isso, é fundamental que você se comprometa aos prazos para não prejudicar os demais participantes da central.

Priorize o diálogo

Decidir pontos com muitas pessoas é muito desafiador, mas deve ser a prioridade em uma central de compras. Tenha o diálogo como o mais importante em todo esse processo!

Integre a sua equipe interna ao negócio

Para uma melhor funcionalidade da central, é importante que a sua equipe interna também esteja integrada a esse negócio. Setores como estoque e finanças devem participar das decisões.

Participe ativamente

Por fim, para cuidar bem da central de compras, é importante que você participe ativamente. Não deixe que apenas as outras partes tomem as decisões, já que o seu negócio também faz parte desse processo!

Como vimos, a central de compras é uma forma de negócio que tem o objetivo de proporcionar maior poder de compra ao varejista. Por meio da união entre os associados é possível obter melhores preços e condições de pagamentos. Além disso, ela oferece diversos benefícios, como mais economia, crescimento e qualidade na entrega dos produtos.

Agora que você já sabe como obter melhores condições de compras para o varejo, siga-nos em nossas redes sociais para conferir as novidades da CISS! Estamos no Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn.

Compartilhar