A incidência de perdas no estoque é um problema que atrapalha a rotina de uma empresa e pode gerar consequências graves para o negócio, como a indisponibilidade de itens e a perda de vendas decorrentes dessas faltas — o que é chamado de ruptura de estoque. Isso sem contar nos prejuízos para o caixa.

Você lida com esse tipo de situação no seu negócio? Neste post vamos mostrar como ela pode ser resolvida, minimizando os impactos financeiros e operacionais acarretados pelas perdas. Continue a leitura para saber como isso pode ser feito!

Quais são as possíveis causas desse problema?

Existem diversas causas possíveis para as perdas no estoque. Entre as principais, podemos citar:

  • falta de acompanhamento do giro dos produtos;
  • falta de um controle adequado da reposição das mercadorias;
  • falta de monitoramento da validade dos itens;
  • despreparo dos colaboradores no manuseio dos produtos.

Entender a origem do problema é o primeiro passo para criar um plano de ação mais acertado e colocá-lo em prática com eficácia.

Como evitar a perda de estoque?

Depois que é feito um mapeamento dos processos em busca de quais causas estão levando às perdas no estoque, é o momento de pensar em ações que vão ajudar a combater esse tipo de situação. Nos tópicos a seguir, mostramos algumas delas.

Fazer um controle rígido do estoque

É necessário promover bom gerenciamento de estoque e, principalmente, otimizar a forma como a reposição dos produtos é feita. Os colaboradores precisam seguir o método PEPS (Primeiro que Entra é o Primeiro que Sai) tanto no armazém quanto nas gôndolas.

Nesse caso, aqueles itens que foram comprados há mais tempo sempre devem ser colocados à frente daqueles que vão sendo recebidos recentemente. Isso ajuda muito a evitar que os produtos fiquem “esquecidos” lá no fundo e passem da data de validade.

Acompanhar o volume de compras

Pode até ser que você consiga algum fornecedor que oferece descontos de acordo com o volume de compras, mas essa pode não ser a estratégia mais adequada, principalmente quando falamos de produtos com um giro de médio para baixo. A proposta de economizar nos custos pode ir por água abaixo se houver excesso de itens, e como consequência, a perda de alguns deles.

É preciso ter muita atenção quanto às solicitações que são feitas aos fornecedores para evitar que sejam adquiridas mais mercadorias que o necessário para determinado período de tempo.

Fazer uma boa gestão de vendas

Uma gestão de vendas eficaz ajuda a monitorar o volume de saída dos produtos e, principalmente, a criar uma previsão de demanda com base no histórico. Essas informações também ajudam a entender as saídas que ocorrem no estoque e preparar o setor de compras para fazer aquisições mais acertadas, sem excessos ou faltas de itens.

Adotar uma rotina de inventários cíclicos

Aqui, já estamos falando de uma rotina mais operacional e focada em prevenir as perdas dentro do armazém — por perecibilidade, avarias ou mesmo extravios. Por meio dos inventários cíclicos, os setores são auditados com uma frequência maior, o que contribui para adotar ações antes mesmo que os produtos sejam perdidos.

Acompanhar indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho dão uma excelente noção de como as mudanças implementadas estão impactando os resultados e se eles são satisfatórios. Dessa forma, são excelentes aliados para acompanhar o grau de eficácia do seu plano de ação.

Investir em um sistema de gestão integrado

Um sistema de gestão integrado facilita e torna a rotina mais prática. Nele, as informações de diversos setores ficam centralizadas, o que faz com que a troca de dados seja mais ágil e acertada.

No contexto do estoque, o setor de compras consegue saber melhor qual é a composição atual do armazém, com as quantidades de cada produto, e se é o momento de acionar o fornecedor com um novo pedido, por exemplo.

Como o CISSPoder contribui para diminuir as perdas?

Pensando no controle de estoque, ele parte de uma primeira preocupação que é mais física, ou seja, a organização da loja em si. Tanto a área de depósito quanto a de venda devem ser bem organizadas, evitando que os produtos fiquem amontoados ou sejam colocados de qualquer jeito e sem um lugar certo para cada um.

Essa organização por locação dentro do armazém — o que chamamos de endereçamento — é primordial para facilitar a tarefa de encontrar, repor e separar os itens para levá-los até as gôndolas. Isso, por si só, já contribui bastante para otimizar a gestão.

O sistema ajuda à medida que automatiza algumas dessas rotinas. No caso do recebimento, da conferência e da separação, por exemplo, é possível usar coletores de dados, que “bipam” os itens e transmitem as informações deles diretamente para o software. Isso agiliza o processo e o torna mais confiável, visto que há poucas chances de ocorrer um erro. O CISSPoder também oferece outras funcionalidades, que incluem:

  • gestão de compras;
  • controle de avarias;
  • controladoria de estoque;
  • criação de relatórios gerenciais personalizados — que podem ser usados para elaborar indicadores de desempenho e monitorar os resultados.

Podemos dizer que o sistema contempla vários fluxos de trabalho relacionados ao estoque, o que é essencial para evitar perdas e obter insights importantes de quais ações devem ser tomadas para prevenir esse tipo de situação.

É no depósito e nas prateleiras que estão localizados os maiores investimentos de uma empresa. Todos os produtos que estão ali representam capital parado, esperando para gerar receita por meio da venda. Se você não corrige o problema das perdas, é certo que vai sofrer um prejuízo financeiro duplo: o de não poder comercializar o item e o de ter gastos para comprá-lo novamente.

É muito importante ter uma estratégia bem-estruturada no que diz respeito ao controle e à melhoria nos processos que envolvem o estoque, e isso inclui o investimento em um sistema que oferece soluções focadas nos procedimentos ligados ao setor.

Como você lida com as perdas no estoque na sua empresa? Se esse índice ainda é considerado alto, é hora de rever as ações que estão sendo adotadas e promover mudanças. Pode ser o caso de investir em mais treinamento, ampliar os controles ou mesmo trocar de ERP. Para isso, veja quais são as causas do problema e defina medidas para atuar em cima de cada uma delas.

Gostou deste artigo e das sugestões de melhoria que podem ser feitas no seu mercado? Que tal aproveitar para conhecer melhor o CISSPoder e as contribuições que ele pode fazer? Entre em contato conosco e entenda como a ferramenta ajuda a otimizar os processos e resultados!

Compartilhar