A inteligência empresarial é fundamental para reduzir custos e aumentar a eficiência operacional. Atualmente, dificilmente uma empresa consegue resultados competitivos de eficiência e diminuição de gastos sem uma abordagem estratégica — que não é possível sem aplicar os recursos certos.

Para ajudar você a entender os detalhes envolvidos nessa prática, vamos descrever a inteligência empresarial, falar de sua importância e concluir com ótimas dicas sobre como fazê-la funcionar. Continue a leitura do post e escale o seu negócio com segurança e solidez!

O que é inteligência empresarial?

Inteligência empresarial é uma estrutura desenvolvida na empresa para que, com base em dados abrangentes, confiáveis e precisos, as decisões estratégicas sejam tomadas de forma a garantir melhores resultados. 

É como se a empresa desenvolvesse uma inteligência própria, que não depende apenas de uma boa visão de uma ou outra pessoa, mas que se manifesta por meio de relatórios, apresentações, painéis e outros recursos capazes de garantir uma análise fundamentada e menos sujeita a erros.

Isso tudo não elimina a importância da capacidade de análise das pessoas, muito pelo contrário. A inteligência empresarial permite, isso sim, que essas habilidades sejam usadas de modo mais eficiente.

Podemos fazer uma boa comparação com um motorista que, mesmo sem conhecer o caminho, prefere seguir a intuição em vez de consultar um mapa atualizado e detalhado, incluindo imprevistos e ameaças que pode encontrar em cada caminho possível.

Nesse caso, o mapa seria como um recurso da inteligência empresarial, que usa os dados e sistemas de Business Intelligence para gerar relatórios, simular cenários e decidir, com excelência, sobre as estratégias e o futuro da empresa.

Qual é a importância da inteligência empresarial?

A resposta para a pergunta deste tópico parece a mais fácil de todas, pois não há negócio de sucesso sem que as decisões certas sejam tomadas. A competitividade da empresa, a eficiência operacional e a diminuição de custos precisam de atenção contínua, o que não é possível e viável sem informação de qualidade. 

Qualquer negócio pode melhorar tomando medidas simples sempre que possível, mas a inteligência empresarial permite focar nas mudanças e nos aprimoramentos que são prioridade e podem trazer um retorno mais imediato e expressivo.

Desse ponto de vista, as empresas mais “inteligentes” conseguem sair na frente e implantam medidas melhores, diminuindo custos e desenvolvendo capacidade competitiva. Esse tipo de vantagem sempre foi mais facilmente aproveitado pelas gigantes do mercado, que podiam investir mais pesado em recursos tecnológicos e humanos, mas isso está mudando.

Atualmente, empresas de diferentes portes podem ter acesso a esses recursos. Muitas vezes, isso garante competitividade até em relação às maiores, pois elas têm mais dificuldade de implementar mudanças com agilidade. 

Podemos pensar em várias vantagens operacionais da inteligência empresarial para evidenciar a importância dela para as marcas, como um controle maior sobre todas as atividades desenvolvidas, mas os ganhos mais significativos são os estratégicos.

Como colocá-la em prática no seu negócio?

Tomar consciência dessa importância é fundamental para qualquer empresa, mas o maior desafio é fazer a inteligência empresarial funcionar no dia a dia. Existem barreiras e limitações, que podem ser maiores ou menores em cada negócio e atividade, mas elas são superáveis. Abaixo, relacionamos os pontos principais para você. Veja!

Desenvolva uma cultura de dados

É muito comum que nossas decisões sejam tomadas com base na intuição, na experiência ou de acordo com o que acreditamos. Isso tudo tem seu valor, e é natural que seja assim, mas essa abordagem pode nos levar a enganos em muitas situações.

Erros costumam ocorrer quando, por exemplo, desconsideramos alguma variável que influencia o resultado. Uma previsão de estoque que não considera a sazonalidade das vendas como uma das variáveis que influenciam os resultados certamente resultará em erros. 

É preciso trabalhar a cultura interna e os hábitos, para que o uso de dados como parâmetro para a tomada de decisão seja adotado. 

Cuide dos processos

Para formar uma boa base de dados, é fundamental desenhar os processos internos para garantir um padrão. Considere, por exemplo, a quantidade de informação disponível no balanço de estoque. Rupturas, desperdícios e desvios, quando não adequadamente registrados, podem gerar sérios erros de interpretação.

Além disso, os processos definidos permitem que a empresa se concentre nas análises e diminua o foco nas tarefas operacionais, permitindo um melhor aproveitamento da inteligência empresarial. 

Garanta acesso aos dados 

Não adianta nada ter todos os dados registrados se o acesso a eles for difícil. Atualmente, é preciso garantir que eles possam ser acessados de qualquer lugar — via mobile, por exemplo — e com um formato de fácil interpretação.

Automatize o fluxo de informações

A gestão da informação pode se tornar uma tarefa complexa se as tecnologias certas não estiverem disponíveis. Muitas empresas têm falta ou excesso de informação, o que só resolvemos quando conseguimos selecionar e automatizar o envio de e-mails e relatórios periódicos com as informações que precisamos.

Se, em outras épocas, a dificuldade era levantar os dados, atualmente, muitas empresas sofrem com a saturação de informação, que não tem muito valor sem uma estrutura organizada e uma metodologia determinada. 

Garanta a segurança

As pessoas e os governos se preocupam cada vez mais com a segurança de dados. Sem ela, a inteligência empresarial pode ser contaminada por informações falsas, e a empresa corre o risco de um acidente de vazamento, por exemplo — o que pode comprometer a confiança das pessoas e arruinar o negócio, especialmente se você armazena dados sensíveis. 

Acompanhe sistematicamente as métricas 

Relatórios com métricas e indicadores de desempenho são a porta de entrada para a inteligência empresarial. Com base nessas informações, é possível implementar medidas, muitas vezes simples, para melhorar o desempenho do negócio como um todo, facilitando a organização dos processos e o monitoramento operacional.

Sem um controle efetivo e eficiente das tarefas do dia a dia, fica muito difícil mudar o foco para as questões estratégicas. 

Considere os setores

Levantar informações pontuais por setor também ajuda a organizar a apresentação dos dados e a tomada de decisões, criando autonomia para os departamentos — que precisam operar com o máximo de integração, mas não devem se distrair com informações que não são importantes para a área. 

De quais ferramentas você precisa?

É impossível acompanhar as inovações do mercado e os dados gerados pela inteligência empresarial sem o uso de ferramentas tecnológicas. Sem elas, a empresa pode passar tempo demais se concentrando no levantamento de dados e fica sem tempo para analisá-los. 

Atualmente, é possível gerar muita informação automaticamente, e a base para isso é o seu sistema de gestão. Uma solução robusta, adequada à sua atividade e bem implantada é fundamental para garantir segurança e confiabilidade.

Do contrário, é como tentar construir um arranha-céu sem um alicerce adequado. Antes de terminar, a construção pode desmoronar. Você precisa de um bom sistema de gestão, que atenda a cada setor da empresa, preferencialmente desenvolvido pensando no seu segmento de atuação.

Com essa estrutura, basta acionar a solução de inteligência empresarial, que costumamos chamar de BI (que deriva do termo em inglês. Business Intelligence). Ela vai coletar automaticamente todas as informações e apresentar a você na forma de relatórios, gráficos e painéis que você pode estruturar com grande flexibilidade, de modo a atender suas preferências e necessidades. 

Agora que terminamos, compartilhe este post nas redes sociais e divida essas importantes informações com outras pessoas!

Compartilhar