Se você chegou até este post, é sinal de que está em dúvidas entre servidores internos ou datacenter. Muitos gestores se deparam com esse dilema e, por isso, decidimos trazer o tema para o nosso blog.

Atualmente, um dos assuntos que mais causa mal-estar no mundo corporativo é o risco de um ciberataque, também conhecido como sequestro virtual. Afinal, perder os dados e todas as informações da empresa é realmente um pesadelo.

Infelizmente, milhares de companhias tiveram a infelicidade de enfrentar esse problema nos últimos meses. Essa onda de ataques e constantes ameaças causadas por hackers, trouxeram à tona questões relacionadas a segurança do ambiente virtual.

É sobre que isso que vamos falar ao longo deste artigo. Se você quer se informar melhor e aprender a escolher a solução ideal para sua empresa, basta continuar com a leitura!

Servidor interno: entenda melhor esse modelo

O servidor interno é uma espécie de computador que armazena todos os dados, programas e sites da empresa. Por meio dele, os funcionários conseguem acessar determinados softwares, documentos e até mesmo e-mails, dependendo do que está armazenado ali.

Esse tipo de solução costuma ter um custo de instalação e manutenção muito maior do que uma hospedagem em datacenter terceirizado. Não somente pelos custos de aquisição de equipamentos para montagem de um servidor interno, que representam apenas 20% do custo total, mas também sua operação.

Isto porque existe um certo grau de complexidade para operar um servidor, determinado principalmente pelo conjunto de requisitos e medidas que devem ser adotadas para garantir um ambiente virtual realmente seguro e protegido. Veja alguns exemplos:

  • devem ser mantidos em ambientes com acesso controlado;
  • exigem bons sistemas de vigilância interna e virtual;
  • precisam contar com sistema de resfriamento;
  • é indispensável a atuação de pessoal qualificado para sua operação;
  • precisam de licenças de software e antivírus;
  • demandam o investimento em nobreaks, geradores e backup.

Sobre a necessidade de backup

As máquinas ou dispositivos usados para backup devem estar, por regra, separadas das máquinas principais. Isso evita a perda dos dados em caso de catástrofes e outros sinistros, como um incêndio, por exemplo.

Lembrando que, controlando o acesso das pessoas aos servidores e projetando bem o local onde os equipamentos serão instalados, é possível prevenir os problemas da perda e vazamento de dados e de ataques de pessoas mal-intencionadas.

Obviamente, isso tudo exige uma série de investimentos da empresa. Em geral, equipamentos de monitoramento, espaço físico e infraestrutura dedicados à alocação dos servidores no interior da organização representam os outros 80% do custo que citamos anteriormente.

Vantagens dos servidores internos

Adotar a estrutura de servidores internos pode ser uma decisão interessante para algumas empresas. Existem vantagens que merecem ser avaliadas com atenção, como:

  • centralização de informações e dados estratégicos da empresa;
  • como a infraestrutura física não é compartilhada, pode ser mais fácil controlar o ambiente;
  • a empresa depende menos da internet, o que pode evitar interrupções no fluxo de trabalho.

Desvantagens dos servidores internos

Apesar dos benefícios apresentados, precisamos destacar que investir em servidores internos pode ser arriscado. Na verdade, o modelo tem desvantagens que não podem ser ignoradas na hora de tomar uma decisão:

  • pode ser acessado com mais facilidade por pessoas não autorizadas;
  • a manutenção do servidor é cara e pode afetar o orçamento do negócio;
  • caso um servidor seja danificado, todas as informações podem ser perdidas;
  • é preciso alocar mais tempo e dinheiro para manutenção de máquinas e atualização de softwares;
  • há limitações de capacidade de armazenamento e execução de tarefas.

Datacenter: tire suas dúvidas sobre o modelo

O datacenter, ou Centro de Processamento de Dados (CPD), nada mais é que uma instalação física usada pelas empresas para armazenar suas aplicações e dados na nuvem. Assim, sua função é abrigar milhares de servidores e bancos de dados, além de processar informações sensíveis.

Em geral, os equipamentos são montados em armários metálicos e o local conta com proteção contra incêndios, além de sistemas de resfriamento. Pelo papel estratégico que desempenham, eles costumam ser estruturados em áreas com acesso restrito.

Vale a pena destacar que o datacenter é fundamental para o funcionamento de diversos setores da economia, como energia, transportes e saúde pública. A verdade é que nossas vidas dependem bastante do bom funcionamento dessas grandes infraestruturas de TI.

Benefícios do datacenter

A popularização dos datacenters ganhou força na última década com a expansão da internet. Isso porque, o serviço que até pouco tempo era caro e complicado de se utilizar, passou a ser mais acessível e contar com aplicações cada vez mais focadas nas necessidades do cliente. Saiba mais a seguir!

Rápida e simples implementação

Por utilizar vários computadores em sua infraestrutura, esse modelo abre possibilidade para que ambientes complexos sejam preparados para uso em poucas horas sem que o gestor de TI tenha que se preocupar com compra de novos equipamentos.

Além disso, essa tecnologia é capaz de resolver um entrave que consome muitos recursos financeiros das empresas: o armazenamento, a operação e a manutenção de equipamentos.

Traz mais flexibilidade e eficiência ao cotidiano empresarial

O datacenter opera na nuvem e isso significa que os gestores têm acesso a tudo o que precisam de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Portanto, esse modelo traz mais mobilidade e flexibilidade ao negócio, o que pode ser um grande diferencial inclusive para trabalhar remotamente, como vimos na pandemia.

Contratação de recursos conforme a demanda da empresa

Outro ponto positivo do datacenter é que a contratação de recursos é feita sob demanda. Assim, o gestor de TI pode solicitar mais ou menos espaço de armazenamento, conforme a necessidade da empresa e só pagará por aquilo que de fato utiliza no dia a dia — não arca com os custos de manter equipamentos ociosos ou super-dimensionados.

Atualizações constantes

É interessante destacar que os servidores hospedados em um datacenter passam por atualizações constantes, seja nos softwares utilizados, seja nos processos de segurança e melhorias. Essa prática é fundamental para manter os dados seguros e com o melhor desempenho possível — o que favorece o crescimento do negócio.

Menor risco de indisponibilidade

Com um datacenter, as chances de o seu negócio ser afetado por uma indisponibilidade dos sistemas é muito menor. Isso porque os datacenters são projetados para a redundância, mantendo o serviço operando, mesmo em situações adversas. Do ponto de vista do negócio, isso significa mais estabilidade na operação, atendendo o cliente de forma ágil e conforme suas expectativas.

Redução de custos

Por fim, a redução de custos é uma vantagem expressiva do datacenter. Isso acontece porque há um rateio de gastos com manutenção, troca de hardware, contratação de pessoal, energia elétrica e internet entre outras parceiras comerciais.

Essa divisão também inclui o compartilhamento da mesma estrutura de armazenamento de informações entre várias empresas. Porém, isso não afeta a segurança do sistema, visto que há um rígido controle de identidade e acessos aos dados.

Pontos negativos do datacenter

O datacenter, seja ele físico ou virtual, é realmente muito interessante. Porém, é importante mencionar que ainda há uma certa resistência de muitos gestores para a realização dessa migração.

Um dos receios é com relação à segurança dos dados. De fato, se o modelo não for gerenciado por profissionais capacitados e certificados, há riscos consideráveis para suas informações.

No entanto, esse problema é superado quando a empresa tem o cuidado de selecionar o datacenter com extrema atenção, fazendo uma boa pesquisa de mercado e confiando em empresas sérias e com credibilidade no mercado.

Servidores internos ou Datacenter: saiba qual a melhor opção para sua empresa

Depois de tudo o que você leu, é possível que ainda exista dúvidas sobre qual opção adotar em sua empresa. Isso é normal, pois estamos falando de uma decisão importante e com impactos significativos no dia a dia da sua equipe.

Como vimos, as duas opções são bem diferentes e não podemos deixar de dizer que o datacenter é uma alternativa mais moderna e interessante, especialmente no mundo atual.

Essa solução tem se mostrado mais interessante que os servidores locais para a maioria das empresas, e não é muito difícil entender as razões. Afinal, os servidores na nuvem são mais seguros, escaláveis e não demandam despesas com manutenção e renovação de hardware e software.

Essa conveniência também vem aliada aos backups automáticos e à maior velocidade para efetuar restauração de arquivos. Lembrando que ela demanda um menor investimento em longo prazo, tanto para manutenção quanto para upgrades de infraestrutura.

Para finalizar, o suporte, a garantia de disponibilidade – caso você tenha uma conexão de internet estável – e os recursos de monitoramento costumam ser melhores e mais dinâmicos quando os comparamos com as soluções construídas internamente.

Enfim, o que estamos dizendo é que optar por um datacenter é a decisão mais vantajosa e estratégica para a maior parte das empresas. Contar com este recurso na sua, pode se tornar um aliado para o crescimento empresarial.

E então, as informações apresentadas foram úteis? Se você estava com dúvidas entre a implementação de servidores internos ou datacenter, conseguimos esclarecê-las?

Como vimos, o modelo na nuvem é mais eficiente e consegue atender às principais demandas das empresas modernas. Portanto, não perca mais tempo e invista com estratégia!

Se você gostou deste conteúdo, pode se interessar pela nossa solução de datacenter sob demanda, o DataCISS. Clique aqui para conhecer!

Compartilhar