Fazer uma boa gestão de perdas em supermercados é o caminho principal para garantir um faturamento coerente com o volume de vendas e a exatidão do estoque durante o inventário dos produtos.

Porém, para que ela seja mesmo eficaz, é necessário tomar alguns cuidados importantes que contribuem para otimizar rotinas dentro do estabelecimento. A seguir, explicaremos melhor sobre essas perdas e o que pode ser feito para evitá-las. Continue com a leitura para saber mais!

Quais são as perdas mais comuns?

Uma perda de estoque sempre é identificada quando se percebe uma diferença entre as quantidades disponíveis e o estoque contábil. As causas que levam a essa falha podem ter diversas origens. Vamos conhecê-las nos próximos tópicos.

Perdas conhecidas

São decorrentes de erros na execução dos processos e outras falhas gerenciais que podem ocorrer na rotina do supermercado. Por se tratarem de situações internas, essas ocorrências podem ser previstas e, consequentemente, são mais fáceis de serem evitadas. Entre as mais comuns, podemos citar:

  • avarias relacionadas ao manuseio dos produtos (quebra, amassado e arranhão, por exemplo);
  • prazo de validade dos produtos expirados;
  • deterioração de produtos perecíveis (que pode ter origem na limpeza inadequada, no excesso de compra, em fornecedores com baixa qualidade e no armazenamento ineficiente).

Repare que, em todas as situações, o problema está mais ligado à execução das tarefas e ao controle do estoque.

Perdas não identificadas

Já as perdas não identificadas acontecem de forma ocasional e sem que possa ser prevista pelos colaboradores. Geralmente, surgem nas seguintes situações:

  • furtos;
  • fraudes e desvios cometidos por funcionários;
  • fraudes e desvios cometidos por clientes.

Por que é importante evitá-las?

A consequência desses transtornos vão muito além da incoerência nos números relacionados ao estoque. Elas afetam o faturamento, o custo de aquisição de mercadorias (que aumenta em decorrência da necessidade de reposição) e até mesmo a saúde financeira do negócio, em médio e longo prazo.

Afinal, como fazer a gestão de perdas em supermercados?

Antes de qualquer coisa, é necessário fazer um trabalho a fim de identificar as origens das perdas. Assim, fica mais fácil saber quais ações precisam ser adotadas e quais delas demandam um investimento maior.

Nos próximos tópicos, vamos listar algumas das melhores práticas voltadas para a gestão de perdas em supermercados para ajudar você nessa missão.

Elaborar um programa de treinamento para os colaboradores

Como visto, algumas das perdas estão ligadas ao manuseio e armazenamento incorreto dos produtos. Sendo assim, investir em treinamento e conscientização da importância de reduzir os desperdícios é a melhor forma de criar uma cultura mais voltada para a eficiência.

Nesse caso, a capacitação deve ser aplicada em várias equipes — limpeza, estoque, segurança, caixas, compras etc. —, orientando a respeito dos protocolos corretos.

Otimizar o controle de estoque

Com um controle de estoque adequado, aumenta-se a organização sobre o giro dos produtos e, como consequência, diminui-se os índices de perdas decorrentes de problemas no armazenamento. Entre as práticas recomendadas, estão:

  • certificar-se de que os itens estão sendo estocados em locais adequados;
  • monitorar o registro de todas as entradas e saídas;
  • manter o controle a fim de evitar faltas e excessos (a Curva ABC é uma ferramenta muito útil para isso).

Realizar inventários periódicos

De tempos em tempos, é necessário realizar um inventário das mercadorias (também chamado de balanço), no qual todos os itens são contados e, então, realizada a conferência e o ajuste das informações contidas no sistema.

Ao realizar essa atividade de forma cíclica — inventariando grupos de itens com intervalos de tempo menor entre eles —, fica mais fácil identificar as falhas com rapidez e adotar as medidas necessárias para corrigi-las com mais efetividade.

Controlar (rigorosamente) o consumo interno

Setores como padaria e restaurante (ou lanchonete) costumam utilizar itens para a produção — principalmente dos setores de frios, laticínios, hortifrúti e açougue. Já os produtos de limpeza são usados por todas as áreas.

O que gera a perda é a falta de registro desse consumo no sistema, causando a inconsistência no estoque. É de suma importância criar mecanismos que ajudem a minimizar esse tipo de ação, visto que, além do problema no inventário, ela também dificulta a identificação dos custos de cada setor.

Uma forma de contornar o problema é criando um almoxarifado especialmente para esse tipo de requisição. Assim, sempre que um produto é solicitado, haverá uma pessoa dedicada a essa tarefa de controlar e registrar tudo o que sai do estoque.

Aprimorar os procedimentos para trocas de produtos

Existem diversas razões que levam um consumidor a trocar um produto adquirido, mas essa prática também pode ser alvo de fraude e, consequentemente, gerar uma perda para o supermercado.

Entre as práticas mais recomendadas para esse procedimento, estão:

  • exigir a apresentação do cupom fiscal referente à compra;
  • verificar a diferença de preço entre os produtos (e solicitar a complementação, caso o segundo item seja mais caro do que o devolvido);
  • dar entrada do produto no estoque como devolução;
  • informar a saída no estoque do item fornecido na troca.

Reavaliar a qualidade dos fornecedores

A qualidade dos itens (principalmente dos mais perecíveis) é um fator que contribui bastante para uma gestão de perdas eficaz. Agende visitas aos fornecedores e avalie questões como:

  • procedimentos de armazenagem;
  • manipulação dos produtos;
  • condições de transporte.

Nesses casos, a melhor parceria é aquela construída com base no melhor custo-benefício — que apresente um padrão de qualidade mais satisfatório (exigência que pode ser feita em contrato), mesmo que o valor final seja um pouco maior.

Reforçar o investimento em segurança

O investimento em segurança é necessário e vantajoso para qualquer empresa. No caso de um supermercado, deixar de contar com um bom sistema de monitoramento por câmeras é uma decisão que leva a prejuízos — facilitando esquemas de furto ou fraudes.

Além disso, também vale a pena criar uma equipe dedicada à prevenção de perdas, a qual fica circulando pela loja, observando atitudes e pessoas suspeitas. Situações como essas ajudam a inibir a ação de pessoas mal intencionadas.

Apostar na tecnologia como aliada

Contar com um sistema como o ERP ajuda a integrar as áreas e promover a troca automática de informações. Assim, fica mais fácil monitorar as vendas realizadas nos caixas, as saídas do estoque e poder acompanhar o momento certo de realizar as aquisições — evitando problemas como faltas e excessos.

A gestão de perdas em supermercados é parte fundamental no bom desempenho do negócio, principalmente no que diz respeito ao atendimento aos clientes, à proteção da margem de lucro e à garantia de uma boa saúde financeira.

Suas dúvidas sobre o assunto foram esclarecidas? Quer saber melhor como o investimento em tecnologia pode ajudar na gestão de perdas do seu estabelecimento? Então, entre em contato conosco agora mesmo e fale com um de nossos especialistas!