O comerciante conhece “de cor” os quatro elementos básicos que compõem o cálculo do fluxo de caixa. Um saldo inicial soma-se aos recebimentos, subtrai-se os pagamentos e temos o saldo final. De preferência, sempre positivo. Bem, a realidade do dono de um supermercado, claro, é muito mais complexa que isso. Manter um fluxo de caixa saudável exige planejamento, gestão e acompanhamento dia a dia.

Boas práticas de gestão do fluxo de caixa podem aumentar a previsibilidade das suas receitas, diminuir a inadimplência e ajudá-lo a tomar decisões sempre estratégicas. Trazemos a seguir uma lista com 7 dicas para garantir um fluxo de caixa saudável ao seu negócio. Você não vai perder, certo?

Projete seu fluxo de caixa

Gerir o fluxo de caixa não é só sobre olhar para o que passou, mas não pode mais ser alterado. A primeira dica é sempre projetar seu fluxo de caixa.

O primeiro passo é olhar para as despesas fixas da sua empresa, como aluguel, salários de funcionários e o pagamento de parcelas de empréstimos e financiamentos. Adicione à conta, também, aqueles pagamentos que, ainda que variáveis, podem ser estimados, como os gastos com fornecedores e luz.

Repita o processo com as entradas e você terá um panorama do que espera que aconteça com as suas receitas ao longo do próximo período. Se as contas não estiverem batendo é uma oportunidade para repensar a sua estratégia, reconsiderar investimentos naquele momento ou estudar possíveis cortes de gastos.

A curto prazo será possível observar como suas estimativas não se confirmam e tentar entender os motivos. A longo prazo, você passará a ter uma visão apurada de quais despesas e receitas são as mais e menos previsíveis, podendo tomar decisões cada vez mais estratégicas e bem fundamentadas.

Aumente a frequência de suas análises

Se você já projeta seu fluxo de caixa e, ainda assim, sofre com a imprevisibilidade das suas receitas, a dica é repensar a periodicidade com que você realiza tanto as projeções quanto as atualizações no sistema. Isso é, se os cálculos vêm sendo realizados apenas mensalmente, considere passar a realizar, também, projeções quinzenais ou, até mesmo, semanais. Intervalos menores são mais fáceis de analisar e entender.

Em outro sentido, mantenha a atualização das entradas e saídas o mais constante possível. Pode até parecer exagero, mas hoje em dia já é possível, por exemplo, contar com uma atualização em tempo real de suas vendas.

Softwares de gestão como o CISSPoder possibilitam a integração da sua frente de caixa à retaguarda do sistema. Ou seja, as suas vendas entram no sistema no momento em que são realizadas. Isso, somado a um compromisso constante com os lançamentos, permite ao gestor acompanhar diariamente a situação do seu fluxo de caixa, identificando os problemas em seus estágios iniciais, não dias ou semanas depois do surgimento.

Melhore a gestão de suas contas a receber

O melhor dos mundos para o supermercadista é receber sempre à vista. A realidade, especialmente fora dos grande centros urbanos, porém, é bem diferente. Vendas a prazo, tanto no cartão como na carteira, ainda fazem parte do dia a dia do comerciante do interior. Esse tipo de transação pede uma gestão mais próxima e ativa.

O que seria essa gestão? Ter uma equipe ou pessoa fazendo o gerenciamento das contas a receber do cliente, validando o recebimento. Caso o cliente não pague, você pode tomar uma ação. Isso trabalhará para que a empresa tenha um fôlego no fluxo de caixa.

Contar com esse profissional dedicado age, assim, no sentido não só de ter uma postura ativa em relação às suas contas a receber, como também diminui a imprevisibilidade, permitindo que o planejamento seja feito com dados confiáveis em relação às taxas de inadimplência dos seus clientes. Quanto menos surpresas melhor.

Aprimore a sua gestão de compras

Produtos parados por muito tempo no estoque ou em falta nas prateleiras, perdas no vencimento e compras realizadas sem critério objetivo são outros fatores que influenciam diretamente na manutenção de um fluxo de caixa saudável. Trabalhar uma gestão mais profissional das suas aquisições de produtos é parte indissociável de uma estratégia de sucesso.

Muitas compras são efetuadas sem critérios. Na maioria das vezes são baseadas no feeling do comprador ou até aquela história “do olho do dono”. . A empresa precisa ter um sistema de volume de compras avançado, baseado em giro de produtos, estoque mínimo, estoque máximo. É preciso saber qual o teto para a ruptura do produto, para que ele não falte.

Em outras palavras, é preciso garantir que a sua tomada de decisões tenha como origem cada vez mais os dados reais do seu negócio. Compras feitas por impulso ou apenas senso de oportunidade são as inimigas número um do bom fluxo de caixa. O caminho, mais uma vez, é dispor de um bom ERP, capaz de disponibilizar as informações necessárias e gerar relatórios detalhados sobre seus produtos.

Entenda os ciclos e a sazonalidade do seu comércio

Uma gestão profissional, somada a um acompanhamento constante de suas projeções e resultados, permite, a longo prazo, uma visão ampla do seu empreendimento. Isso inclui observar padrões que revelam-se consistentes ao longo do ano.

Isso é, entender em quais meses seu faturamento traz contas altas e baixas, variações previsíveis em pagamentos e recebimentos e suas origens, ou como as estações do ano e os feriados interferem no preço de entrada e saída e na margem de lucro dos seus campeões de venda.

Ainda, se você é dono de uma rede de supermercados, também é importante observar como as suas lojas diferem em comportamento ao longo do ano e identificar padrões no seus fluxos de caixa. Tudo isso, quando sistematizado e documentado, permite ao comerciante planejar cortes, investimentos e expansões com uma maior eficiência e segurança.

Cuide do seu capital de giro e invista no seu negócio

Capital de giro é, em poucas palavras, o dinheiro necessário para que você continue operando, mas isso não significa ter dinheiro parado e intocável em um cofre ou conta corrente.

A combinação entre juros e inflações altas no Brasil significa que todo o dinheiro parado é, na prática, recursos se esvaindo dia a dia. Tenha sempre seu dinheiro investido e gerando juros, mas atente-se às condições específicas de cada aplicação, especialmente quanto à facilidade — e as taxas — em caso de saque.

Procure sempre por boas oportunidades de renegociação de seus empréstimos, busque aconselhamento financeiro na hora de investir e tenha um plano de expansão do seu negócio e crescimento do seu faturamento. Se optar por novos empréstimos junto às instituições financeiras, estude bem taxas e juros, usufrua dos incentivos ao pequeno e médio empresário, e projete o impacto das parcelas no seu fluxo de caixa.

Profissionalize seu negócio

Todas essas dicas têm um ponto em comum: gestão profissional. Acompanhamento próximo e ativo do seu estoque, geração rápida de relatórios financeiros e controle total de suas contas a pagar e receber são atividades muito mais funcionais e escalonáveis quando assistidas por um sistema integrado de gestão de excelência.

Aqui na CISS oferecemos o CISSPoder, um sistema totalmente pensado para supermercados, capaz de realizar os cálculos essenciais ao seu negócio. A ferramenta ajuda os gestores e empresários no seu fluxo de caixa, ao ponto de que eles possam tomar uma decisão e ver onde está a lacuna, a brecha no fluxo.

Gostou dessas dicas e quer saber mais sobre como você pode implementar tudo isso no seu supermercado? Não perca mais tempo e entre em contato conosco!