Pedir comida em casa é um comportamento de consumo que apresentou um aumento significativo, especialmente nos anos de pandemia. A crise econômica, aliada à necessidade de isolamento social, fechou muitos restaurantes e fez com que o mercado food service precisasse se transformar e, assim, uma nova modalidade de negócio ganhou espaço: a dark kitchen.

Leia este artigo para entender:

  • o que é dark kitchen;
  • como fazer uma boa gestão desse modelo de negócio.

O que é dark kitchen

Conhecida também pelo termo em português “cozinha fantasma”, uma dark kitchen é um estabelecimento que opera exclusivamente na produção de refeições para entrega. 

Sendo espécies de galpões com uma ou mais cozinhas industriais, elas não têm atendimento presencial ao cliente e não contam com salões. Em vez disso, abrigam a parte de produção de um restaurante: o modelo de negócio se concentra na produção rápida de refeições para serem distribuídas pelos entregadores. 

A solução chegou ao Brasil durante o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19, se tornando uma maneira de sobrevivência para restaurantes que tiveram que fechar seus salões.

Dark kitchen: como fazer uma boa gestão?

O surgimento de um novo modelo de negócio demanda, é claro, uma nova visão de gestão para que ele funcione no máximo de seu potencial e traga o lucro esperado. Confira algumas dicas importantes para adequar um restaurante ao modelo de dark kitchen:

Otimização do tempo

Um dos principais diferenciais para um restaurante em modelo delivery é a velocidade de entrega, o que depende tanto da agilidade na cozinha quanto da disponibilidade de entregadores. 

Para que isso aconteça, o ideal é que o cardápio seja enxuto e a equipe da cozinha seja muito bem treinada para produzir os pratos rapidamente, sem deixar a desejar na qualidade. 

Food services – que querem contar com uma boa disponibilidade de entregadores – precisam oferecer a eles boas condições: se eles tiverem, na dark kitchen, uma possibilidade de repouso com água, banheiro e lugar para sentar coberto, por exemplo, são maiores a chances de que prefiram estar ali à disposição. 

Gestão de estoque

Também é fundamental uma boa gestão de estoque, evitando que faltem os ingredientes necessários para que todos os pratos sejam feitos. Além disso, deve haver um controle rigoroso com prazos de validade e compras estratégicas, a fim de prevenir desperdícios. 

Softwares de gestão

Por fim, contar com um software de gestão é fundamental, pois é praticamente impossível abraçar essa modalidade de negócio sem utilizar a tecnologia como sua grande aliada.

Falando no assunto, aproveite para ler também o nosso artigo sobre cardápio qr code e outras tecnologias voltadas para o food service. 

Compartilhar