Todas as empresas, independentemente do porte ou ramo de atuação, vivem o momento da transformação digital. Processos estão sendo automatizados, a gestão se tornou mais estratégica e a mentalidade do consumidor mudou significativamente. É nesse contexto que surgem cada vez mais tendências tecnológicas voltadas para o varejo.

A experiência de compra é o foco das mudanças no segmento varejista. As inovações tecnológicas estão presentes nos variados canais de compra, no atendimento ágil, nos novos meios de pagamento, na forma como os produtos são apresentados e testados.

Neste artigo, vamos destacar 6 tendências tecnológicas que impactarão o varejo nos próximos anos. Confira!

1. Internet das Coisas (IoT)

O mundo está cada vez mais conectado à Internet, até veículos, imóveis e objetos estão integrados à rede mundial de computadores. Esse é o contexto da Internet das Coisas, ou simplesmente IoT (do termo, em inglês, Internet of Things). É uma revolução que faz com que casas, carros, equipamentos e qualquer produto sejam capazes de receber e transmitir dados.

Em 2017, a quantidade de objetos conectados já superava 8 bilhões e a perspectiva é de que até 2020 esse número aumente para 50 bilhões, de acordo com a consultoria Gartner. No varejo, a IoT é usada, principalmente, no controle de produtos e estoques, graças à tecnologia RFID (Radio-Frequency IDentification ou identificação por rádio frequência, em português).

Por meio das etiquetas RFID é possível fazer o rastreamento dos produtos de forma automática, facilitando, assim, uma série de processos, como o controle de estoques. Essa tecnologia permite, ainda, identificar mercadorias com prazo de validade vencido, mais um mecanismo para prevenir perdas.

Como a leitura dos dados é feita de forma automática e abrangente (é possível registrar um conjunto de itens de uma só vez), uma das grandes apostas é o uso do RFID na gestão de supermercados. Uma das facilidades está na apuração e soma de itens do carrinho de compra dos clientes sem que seja necessário registrar cada mercadoria no caixa, favorecendo a adoção do sistema de SelfCheckout.

Esse é apenas um exemplo de uso da Internet das Coisas, que oferece possibilidades ilimitadas para o varejo. Outras aplicações úteis ao segmento envolvem a otimização dos processos logísticos, controle de clientes nas lojas, verificação de falhas em equipamentos, identificação de hábitos de compra, redução de fraudes, entre outras aplicações.

2. Blockchain

A tecnologia Blockchain (corrente de blocos), que tornou possível as transações em moedas digitais, já está sendo adotada pelo varejo. Na prática, o objetivo do Blockchain é registrar operações, garantindo que sejam validadas e realizadas uma única vez. Ou seja, são transações que, uma vez concluídas, não podem ser modificadas.

Esse mecanismo é fundamental para garantir a integridade e a segurança no processamento de dados. Por isso, o Blockchain se tornou uma tendência tecnológica para vários segmentos de mercado, entre eles, destacam-se o setor financeiro e as redes varejistas.

No varejo, o Blockchain tem aplicação ampla, podendo ser adotado com os seguintes propósitos:

  • rastreamento da cadeia de suprimentos;
  • autenticidade das operações online;
  • aprimoramento dos programas de fidelidade;
  • segurança o uso de meios de pagamento por dispositivos móveis;
  • transparência nas informações repassadas aos clientes (que podem consultar a origem dos produtos adquiridos).

3. Wearables e realidade aumentada

Entre as tendências tecnológicas do varejo, destacam-se aquelas que conseguem melhorar as experiências de compra. É o caso dos wearables e da realidade aumentada.

As tecnologias vestíveis, mais popularmente conhecidas como wearables, contemplam relógios, pulseiras, óculos e até roupas capazes de transmitir informações. Um exemplo é o uso de pulseiras como meio de pagamento. Basta o cliente aproximar o acessório da máquina de cartão para que a compra seja concretizada.

Esse mesmo mecanismo pode ser adotado para empresas controlarem o acesso de clientes no ponto de venda e acompanharem sua jornada de compras.

Já a realidade aumentada tem potencial para fazer com que o consumidor conheça melhor o produto que pretende adquirir. Em e-commerces, por exemplo, ele pode simular combinações de mercadorias, como roupas e acessórios.

Nos pontos de venda, a realidade aumentada pode servir para fazer demonstrações com as mercadorias expostas na loja. Assim, um comprador pode analisar, por exemplo, como um objeto de decoração ficaria na sua casa.

4. Inteligência Artificial (AI)

A Inteligência Artificial é um dos mecanismos que mais tem sido adotado no varejo. Ela está presente em recursos como os chatbots, que nada mais são do que robôs de chat, aqueles que automatizam o relacionamento com clientes em canais de atendimento. Eles estão presentes, também, nas redes sociais corporativas.

Empresas como Magazine Luiza e Bradesco estão investindo nesse recurso de forma estratégica, personificando seus chatbots. É o caso da atendente virtual Lu, da varejista Magazine Luiza, e da Bia, sistema de AI do Banco Bradesco.

Quando bem gerenciados, esses mecanismos agilizam o atendimento ao cliente, reduzindo custos para empresas e tempo de espera para os consumidores. E vale reforçar que o uso da Inteligência Artificial não se restringe aos robôs de atendimento. Confira alguns exemplos de aplicação dessa tecnologia:

  • recomendações baseadas na análise do perfil dos consumidores;
  • soluções personalizadas;
  • gerenciamento de estoques;
  • dinâmica de preços;
  • análise dos padrões de consumo.

5. Tecnologia móvel

O uso dos dispositivos móveis é um caminho sem volta para o varejo. Afinal de contas, é uma preferência dos próprios consumidores, que, cada vez mais, realizam transações por meio dos smartphones.

O modelo de negócios no varejo, hoje, precisa ser pensado para o universo mobile. Isso quer dizer que os canais de venda e de atendimento devem estar adaptados para acessos por smartphones. A ideia é que o consumidor consiga realizar todo o processo de venda usando apenas um celular.

Mas não é só isso: os meios de pagamento também precisam evoluir para possibilitar que as compras, mesmo feitas no ponto de venda, sejam pagas por meio de dispositivos móveis.

6. Reconhecimento facial e biometria

As tendências tecnológicas no varejo têm grande aplicação entre os novos meios de pagamentos. Entre as novidades, estão o reconhecimento facial e a biometria. Parece coisa de ficção científica, mas esses recursos que já estão sendo testados por grandes empresas.

O reconhecimento facial faz parte de projeto-piloto testado pelo Banco Santander em parceria com a rede de cartões Marstercard e a varejista Dafiti. A expectativa das empresas é disponibilizar o recurso em breve para os clientes.

A biometria é outra aposta em teste. Clientes de banco já utilizam esse sistema, que dispensa cartão e senha. Logo esse mecanismo estará presente, também, no varejo. A Visa começou a testar o modelo em janeiro de 2018. O objetivo é ter o uso da digital como um recurso de segurança adicional ao uso do cartão.

No processo de transformação digital, ganham projeção as empresas que conseguirem se adaptar mais rapidamente às tendências tecnológicas. O momento é o de definir estratégias para o futuro do seu negócio!

Tão importante quanto conhecer as tendências tecnológicas que estão transformando o varejo é saber como adaptá-las para o seu negócio. Fique no nosso blog e conheça 5 estratégias para usar a tecnologia a favor das vendas.