Existem diversas estratégias que os gestores podem adotar para aprimorar os resultados de uma loja — principalmente no que diz respeito ao faturamento. Muitas estão voltadas para a experiência dos clientes, como é o caso do visual merchandising.

Você conhece essa prática? Sabe como ela pode ajudar? Neste post, vamos esclarecer essas dúvidas e mostrar como tal estratégia pode ser implementada na sua empresa. Continue conosco e saiba mais sobre o assunto agora mesmo!

O que é o visual merchandising?

Pode-se resumir visual merchandising como ações voltadas para otimizar e incentivar a experiência de compra em um ponto de venda. Em outras palavras, essa estratégia consiste em planejar a exposição dos produtos, de forma que as interações que os clientes têm com os itens sejam estimuladas por questões estratégicas.

O objetivo do visual merchandising é chamar a atenção do público, transmitir o valor da marca e, com isso, conseguir aumentar o volume de vendas — e o ticket médio do estabelecimento.

Como ele afeta a experiência de compra?

Todo o processo de aquisição de um cliente — desde o primeiro contato com a empresa até o momento em que ele utiliza o produto — está envolvido no que é chamado de experiência de compra. Durante as fases, existem diversas questões que podem afetar essa vivência (seja de forma negativa ou positiva).

Nesse sentido, o visual merchandising visa otimizar a experiência, tornando-a a mais agradável e satisfatória, a fim de gerar uma venda futura. Na prática, a ideia é transmitir uma imagem positiva, que gere identificação e faça o visitante comprar mais.

Afinal, como ele pode ser colocado em prática?

Existem diversas ações que podem ser adotadas para aplicar o visual merchandising no ponto de venda. Nos próximos tópicos, explicaremos as principais.

Entender o público

Essa é a regra mais básica do visual merchandising em uma empresa. É preciso entender o perfil do consumidor, suas preferências, seus hábitos de compras, suas necessidades, seu comportamento, entre outras coisas. Nesse sentido, é importante identificar quais produtos são mais atrativos (do ponto de vista do cliente) e elaborar estratégias para evidenciá-los na loja.

Isso significa que, em alguns casos, será preciso abrir mão do que você deseja vender mais, para expor o que tem mais apelo com o público. Assim, encontre os principais itens que sejam capazes de atrair a atenção das pessoas para dentro da loja.

Ainda que esses produtos não sejam os mais lucrativos, são eles que vão chamar mais clientes em potencial e aumentar a possibilidade de vender mais.

Cuidar da sinalização

Toda a sinalização da loja — desde a fachada até a vitrine e os produtos expostos nas gôndolas — deve ser voltada para chamar a atenção do cliente e iniciar o primeiro contato.

Quando ele já está dentro do ponto de venda, ela deve ajudar as pessoas a encontrar o que procuram com mais facilidade.

Montar uma iluminação adequada

Fontes de luz servem para atrair a atenção das pessoas. No ponto de venda, uma iluminação adequada fica voltada para onde se deseja dar destaque — direcionada para um lugar específico, chamando os olhares dos visitantes para a decoração e os produtos.

É preciso tomar cuidado para evitar o excesso de luzes e, principalmente, que elas estejam direcionadas para os olhos dos possíveis clientes. O objetivo é criar um ambiente agradável e que, ao mesmo tempo, dê o enforque certo em alguns pontos.

Planejar como os produtos são expostos

Você pode escolher expor apenas alguns poucos produtos ou apresentar vários itens de uma vez só. Isso depende dos objetivos do merchandising e do tipo de cliente que seu negócio atende — apresentar poucos produtos pode transmitir a sensação de que seu negócio foca em qualidade e que o preço pode ser um pouco mais alto, por exemplo.

Caso escolha apresentar várias mercadorias de uma só vez — dando a ideia de variedade e preços acessíveis —, deve-se tomar o cuidado de não deixar o ambiente amontoado de coisas, dificultando o entendimento do que está sendo mostrado. Além disso, pode-se separar a loja por zonas.

Zona quente

Deve ser a mais acessível e a que explora as novidades e a compra por impulso, por exemplo. Consiste em áreas como a vitrine, os expositores e o caixa. A ideia é chamar mais a atenção do cliente, estimulando a compra e oferecendo uma experiência que o fará voltar mais vezes.

Zona fria

Nela, ficam os produtos mais populares e mais vendidos, que são o principal atrativos dos clientes fidelizados. Nesse caso, é preciso cuidar da disposição dos produtos nas gôndolas e prateleiras, de forma que eles fiquem visíveis com mais facilidade.

O que está no nível dos olhos sempre recebe mais atenção, enquanto as áreas acima e abaixo precisam de algum destaque, como focos de luz.

Manter a limpeza e a organização

Mantenha sempre a vitrine limpa e organizada, uma vez que ela é o primeiro contato que o público tem com a sua loja e deixará registrada a impressão inicial (que pode ser boa ou desagradável).

Além disso, cuide para que o interior da loja também sempre esteja em boas condições. Afinal, tudo isso afeta a percepção que os clientes têm da empresa — principalmente no que diz respeito ao cuidado com os materiais.

Assim, a decoração, a limpeza e a organização, por exemplo, precisam ser cuidadas, para que a imagem transmitida seja a melhor possível.

Estimular os sentidos

Apesar de grande parte do trabalho ser voltado para o aspecto visual (como a decoração e a iluminação), vale a pena explorar os outros sentidos para melhorar o ambiente e a experiência de compra dos clientes.

Manter uma música ambiente (em volume agradável) e permitir que os visitantes tenham acesso aos produtos — para avaliar a textura, o manuseio e a praticidade, por exemplo — são algumas das ações que podem ser adotadas nesse sentido.

Investir no visual merchandising é uma forma que tornar a sua loja mais atrativa e funcional, oferecendo experiências diferenciadas para os clientes e aumentando as chances de alavancar as vendas e fidelizar essas pessoas (para que elas sempre lembrem da vivência positiva e queiram voltar a comprar em oportunidades futuras).

O que achou do artigo? Você tem alguma experiência ou opinião sobre o assunto que deseja compartilhar conosco? Use o espaço dos comentários e participe da conversa!